Thursday, September 27, 2012

Eu AMO ficar em casa.

New York, 13 de Janeiro de 2012

Eu não sei pq estou escrevendo esse post... mas... acho que é legal dividir o que eu estou sentindo nesse momento com vocês. Talvez alguém esteja se sentindo assim também.

Friday the 13th. Eu moro em New York, uma das cidades mais badaladas e mais agitadas do mundo, mas, nessa sexta feira, eu arrumei alguma desculpa (como sempre) pra ficar em casa. Digo, com "em casa", I mean "no meu quarto, sozinha, com a porta fechada" e hoje, pra dar um clima especial a data, luzes apagadas e breu total a não ser pela luz desse laptop. A desculpa dessa vez foi pretty awesome. Estou gripada. 

Ok. 

Se fosse qualquer banda, e eu estivesse me sentindo 10x pior do que estou me sentindo agora, pode ter certeza - eu ESTARIA no show. Hoje, não tem nada lá fora que eu queira, não tem nada que eu procure. Eu estou bem, eu bebo meu whiskey com coca light sozinha, eu coloco um filme de terror pra rodar. Eu estou bem. Eu não preciso de ninguém, e de nada mais. Eu não preciso de roupas bonitas, eu gosto dos meus pijamas, gosto da minha cama, gosto do meu drink 10 vezes mais barato que em qualquer balada.

Eu não gosto do la fora. Não sempre. Eu não gosto de ter que dar foras em caras chatos, que tentam me convencer que são legais. Talvez eu seja a chata, e sou. Ou você é extremamente interessante e finge que não tá falando comigo só pra me comer ou eu vou sorrir e pedir gentilmente que você me deixe em paz. Sacanagem não me interessa, não me atrai. Sexo, por si só, muito menos. Eu prefiro ficar meses sozinha. E deve ter algum problema nisso ai - a maioria das meninas da minha idade tão ai loucas pra fazer mais e mais. E porque eu não? Feia eu não sou, na minha sincera opinião, eu poderia sair agora e arrumar um cara em 5 minutos no bar mais proximo - I just dont want to. Eu gosto de estar comigo, com meu Jack, no meu quarto sozinha.

Talvez, ou melhor, certamente eu gostaria de ter alguém COMO EU. Que fosse assim, EXATAMENTE COMO EU. Posso criar um clone de mim, só que do sexo oposto? Nesse momento só aparece uma imagem na minha cabeça, e eu acho que yup, talvez eu tenha encontrado essa pessoa que por ser exatamente tão igual a mim, tão mais tão igual, eu penso que a gente nunca vai dar certo. At some point in our lifes... e eu só torço pra isso não ser tão longe quanto parece.

Eu não preciso, mas eu gostaria de alguém que gostasse de sentar de pijama e assistir scary movies enquanto a gente acende um baseado em fatos reais e da um gole de whiskey. MAs não estou procurando. 2012 começou estranho, EU, que já sou tão estranha sendo EU, consegui piorar ainda mais minhas expectativas amorosas e esse ano minha unica expectativa nesse sentindo é... oops. Não tenho nenhuma. Eu até pensei, em algum ponto, nessa cabeça maluca, que ia ficar um ano sem ninguém e ia cortar todos os meus rolos que não deixam nunca de ser enrolados. Ia ficar sozinha. Totalmente sozinha, só comigo, pro resto da eternidade assistindo seriados, filmes e bebendo sozinha. 

Dai eu achei que era bad demais. Pensei em "não, esse ano eu vou pegar geral, vou investir no que já tenho e abrir o mercado" RISOS. Já desisti disso também. Já voltei ao meio termo de sempre. Já voltei aos meus rolos enrolados, e a minha vida solitaria não solitaria. Life is weird man. E minha cabeça, 10x mais.

Eu gosto tanto disso. Eu gosto de ficar aqui, eu gosto. Mas eu estou extremamente PERTURBADA depois do texto que a Vic postou, e por acaso, eu parei pra ler:

http://thoughtcatalog.com/2011/life-happens-when-you-actually-leave-your-apartment/

Todas as memorias que eu trocaria meu futuro inteiro, pra vive-las denovo, não aconteceram enquanto eu tava sentada na minha cama, no escuro, sozinha. Nope. Todas aconteceram enquanto I was out there. Eu quero, e eu vou tentar me obrigar a sair mais esse ano depois desse texto. Me irrita ter que me arrumar, me irrita gastar dinheiro, me irrita chegar na balada e nao ter NENHUM cara interessante o bastante pra me prender a atenção - AH, devo dizer, beleza pra mim não conta tanto. Eu sou mil vezes um estilo intrigante como o Tate (AHS) do que o Zac Effron. Yup. Im weird and i fucking know that. O ultimo cara que eu dei atenção numa balada era interessante. Ele disse coisas sobre mim que eu fiquei "wtf" como ele percebeu isso? Mas ai ele ficou muito interessado e bobo, e eu bodiei. Pq eu gosto do perigo, eu gosto do dificil. Ele não era aquariano o bastante pra mim.

Eu ainda não entendi pq to escrevendo isso, e acho ninguém mais esta lendo. I dont fucking care, eu precisava escrever isso. Pra mim, eu preciso me obrigar a sair mais, a dar oportunidades pra vida. É bizarro pq, a maioria das vezes que eu sai, sem ser pra ir a shows, yup, eu me diverti mas nenhuma fez com que eu pensasse "wow". É divertido e pá, mas... id live without it. Queria entender isso. Queria entender o porque. Nope, uma psicologa ia criticar essa observação, ia querer entender, ia deixar complexo demais e ia querer me fazer mudar. Been there, done that. E eu sinceramente, não quero. Sinceramente, eu gosto do meu mundinho exatamente como ele é. Eu teria mais dinheiro, se pudesse, e menos regras, menos horarios, menos cobranças. Eu viveria totalmente free. Mas a gente tem que sempre querer mais. E mais. É a vida, se vc tiver tudo o que quer, THEN YOU ARE DEAD.

Enfim.

Vou voltar pra minha maratona. E amanha, vou sair - se eu não inventar nenhuma desculpa pra não ir. E se vc leu até aqui, peço que divida sua opinião comigo, meu forms tá ai, /lallietand aberto pra conversarmos sobre.

Obrigada.

0 comments:

Post a Comment

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...